03/05/2016

Não podia faltar a farmácia


Como farmacêutica que sou, tinha alguma vontade de arranjar uma velha e tradicional farmácia. Daquelas farmácias que era frequente encontrar-se, em tempos já idos, penduradas sobre o lavatório da casa de banho.

Encontrei-a nas férias de verão numa feira de velharias, convicta que, com a preciosa ajuda do meu pai, também ele adepto destes trabalhos com madeira, rapidamente a teria pronta. Estava longe de sonhar o trabalho que me iria dar... :)

Foi toda decapada, retirada a tinta que cobria o vidro, eliminado o plástico autocolante tão 70's do interior.



Iniciado o acabamento e ja depois de dada uma de mão de tinta, parte uma dobradiça. Não é grave porque esta "nova" farmácia não vai ser aberta com frequência. Terceira de mão, parte outra dobradiça. Problema: tenho mesmo de as substituir todas e pior, encontrar dobradiças pequenas e o mais possível à época. Peças antigas têm destas coisas... Não foi fácil mas resolveu-se.
Dobradiças substituídas e pintura terminada, faltava dedicar-me ao interior.

Já que tinha escolhido um preto mate para o acabamento, optei por forrar o interior com papel de jornal que, atempadamente pedi para me trazerem de Marrocos (obrigada Joana Teixeira!). Depois de forrado, uma camada de verniz para lhe dar resistência.

Pronta! Deu muito mais trabalho do que esperava mas gosto do resultado.




SHARE:

Sem comentários

Publicar um comentário

© Anantique. All rights reserved.