23/09/2018

De "haik" a cortina


Há uns vinte anos fui pela primeira vez a Marrocos, país que gosto muito e onde já voltei várias vezes. Tão próximo e tão diferente da nossa realidade europeia. Fascinam-me, particularmente o deserto e os souks, os mercados tradicionais. Se pudesse, vinha carregada de tapetes, candeeiros, couros, enfim, até que a minha paciência para negociar preços se esgotasse.

Mas o que têm as cortinas do quarto da Clara a ver com Marrocos? Tudo.
Compare-as nessa viagem e durante anos usei-as como cortina, no quarto de casa dos pais. Agora passaram para a Clara. 
São uns simples panos brancos, de algodão, de seis por dois metros, dobrados sobre o varão.

Mas não foram concebidas para cortinas, aliás longe disso! 
Na verdade estes "panos" são haik, roupa tradicional feminina, usada na Argélia e em alguns locais de Marrocos como Essaouira e Chefchaouen. Por aqui as mulheres "enrolam-se" nestes  seis metros de algodão. Foi precisamente de Essaouira, na costa sudoeste de Marrocos que as trouxe.
O haik é similar ao niqab, usado pelas mulheres muçulmanas mas é branco, em vez de negro.




São versáteis, duradouras e caem bem. Que mais poderia pedir? Sem dúvida uma óptima compra.
Bom também é conseguir reutilizá-las, upcycling, sempre que possível!


Não fosse a minha licença de maternidade e teria ido a Marrocos, na semana passada, por motivos profissionais. Talvez por isso e pela escrito deste post, bateu a nostalgia e a vontade de lá voltar outra vez!
SHARE:

Sem comentários

Publicar um comentário

© Anantique. All rights reserved.