23/12/2015

* Feliz Natal *

"I will honour Christmas in my heart, and try to keep it all the year"

Um Feliz Natal cheio de amor e bons momentos.



SHARE:

19/12/2015

Do lixo ao luxo

Há uns meses atrás liga-me o T. e diz "vê o sms que te enviei e diz-me se queres que guarde a cadeira que está aqui no lixo". Desligo, olho para a foto enviada por sms e respondo "QUERO!!"
Tinha acabado de criar um monstrinho, porque o T. começou a olhar para o lixo com outros olhos e depois deste episódio, seguiram-se outros, com peças que serão recuperadas a seu tempo.

SHARE:

08/12/2015

Flowing into Christmas

Ontem abriu-se a época natalícia cá em casa, com direito a árvore de Natal, luzinhas espalhadas pela sala, sem faltar uma banda sonora associada à quadra!
Na verdade, andava já há uns dias a pensar na árvore de Natal, apetecia-me enfeites novos, diferentes, fugir a mais do mesmo. E acabei por descobrir precisamente o que queria, uma solução inspiradora, inusitada e barata. 

Há uma semana atrás desloquei-me a Paris e, para matar tempo no aeroporto, aproveitei para comprar algumas revistas que tanto gosto, quando encontrei a Flow. 
É uma revista linda, originalmente holandesa, inspiradora e com um grafismo delicioso. Para além de tudo isto, esta edição oferecia ainda nas últimas folhas, uma ideia ou citação para cada dia de 2016. Cada um destes momentos Flow está inscrito num pequeno cartão ilustrado e picotado. Não resisti, era precisamente o que queria para a árvore deste ano, e melhor, dois em um, revista maravilhosa e enfeite de Natal.
Faltava destacar os cartões, fazer um pendente com fio do norte et voilá!


SHARE:

10/11/2015

Luz Houses

Nos últimos tempos todos os caminhos, leia-se todos os artigos sobre boutique hotels, vão dar ao Luz Houses. Localizado em Fátima, fica a uns 10 min a pé do santuário. Abriu este ano e recebeu no mês passado o prémio "Newcomer" nos boutique hotel awards 2015.


SHARE:

19/10/2015

Monte Góis - tranquilidade e bom gosto

O último fim-de-semana foi passado no baixo Alentejo, próximo de Almodovar, no Monte Góis Country House & Spa. Fica precisamente no meio de nenhures, onde só se ouve a natureza, se avista para lá do sol posto e o cheiro a esteva não nos faz esquecer que estamos em pleno Alentejo.

SHARE:

01/09/2015

Letras metálicas

Adoro letras metálicas industriais, destas grandes, em alumínio, aço inox, latão, pintadas ou não. De preferência bem gastas pelo passar dos anos.

Cada uma tem sua história, cada uma era parte de uma qualquer marca que deixou de existir ou sofreu um processo de modernização. Quase todas sofreram com as intempéries porque são invariavelmente letras de sinalização de exterior. Mas isso dá-lhes uma graça natural.
E fontes? Tantas! Para todos os gostos. Mais arredondadas ou lineares, old style ou vanguardistas, mais ou menos originais.

Em Buenos Aires há uma loja que é uma autêntica perdição para os aficionados destas letras, hoje em dia, tão decorativas. Chama-se Mid Century e fica no bairro de San Telmo, a Meca dos antiquários nesta maravilhosa cidade.

Para quem andar por Buenos Aires, vale bem a pena a visita!

Mid Century
Defensa 1181 - San Telmo
Buenos Aires
http://www.midcentury.com.ar

SHARE:

24/08/2015

Découpage

Esta mesinha foi uma daquelas pechinchas que se conseguem nestas associações de apoio a toxicodepentes e alcoólicos e que, entre outras coisas, se dedicam à venda de usados.
Não tinha graça nenhuma, estava sem dúvida, a precisar de um extreme makeover.


SHARE:

11/08/2015

Caixa de amostras

Um dia destes chego ao escritório e deparo-me com uma grande caixa de madeira na entrada do gabinete. Não era mais que uma caixa transporte de umas amostras que aguardava, mas desde logo achei que a dita caixa tinha potencial para mais.
Na verdade não fui só eu a achar porque a caixa foi bem cobiçada por outras colegas com gosto pelo bricolage :). Mas se vinha em meu nome... Minha ficaria!


SHARE:

28/07/2015

Do velho consultório médico

Um consultório médico, aberto desde os anos 70 e que vai entrar em remodelação, vale bem uma visita de prospecção.
Entre outras peças de mobiliário bem interessantes que por lá descortinei, sem dúvida que esta velha vitrine metálica, típica dos consultórios mais antigos, pode cair como uma luva num contexto completamente diferente. 
Levei-a para casa, juntamente com algumas outras 'reliquias'. A minha formação farmacêutica falou mais alto, e lá vieram as seringa de vidro, as caixas de esterilização, a adrenalina, o Klamar xarope... :)

A vitrine do consultório passou agora a alojar fotografias, revistas e livros, mas manteve-se também com algumas das peças de outros tempos.

SHARE:

22/07/2015

A propósito de mesinhas de cabeceira

Um par de mesinhas de cabeceira iguais não me "emocionam". Prefiro de longe a informalidade de mesinhas desemparelhadas. Criam um ambiente mais leve e relaxado.
E é tão fácil conseguir alternativas originais e económicas, com caixas de fruta, blocos de betão, troncos de árvore, caixotes. Basta apenas um pouco de criatividade. 


SHARE:

07/07/2015

O espelho da avó

Lembro-me de ver este espelho, em pau santo e prata, em cima da cómoda da avó Mimi.
Não sei bem que lhe foi feito nestes últimos anos, mas estava em bastante mau estado, partido em duas zonas e o interior uma imundície.



SHARE:

13/06/2015

Um novo lar para uma mesinha de cabeceira

Um dia destes, numa das minhas idas ao Artlier, uma das alunas que tinha acabado de sair, volta passados uns minutos. Trazia a feliz notícia que tinham acabado de colocar uma série de móveis de uma casa na rua, para recolha. Saímos disparadas e cada uma se agarrou ao móvel que lhe estava mais à mão. Coube-me esta mesinha de cabeceira art deco.


SHARE:

12/05/2015

Revisteiro retro

Encontrei este revisteiro metálico, anos 50, numa das idas à feira da Ladra. Não lhe resisti.

SHARE:

19/03/2015

De Secador 70's a Candeeiro

Um dia destes liga-me a minha amiga AV:
"AV: lembraste de te ter falado que minha mãe tinha um daqueles secadores de pé e que devia ficar giro como candeeiro?
AA: Lembro, claro. Porquê?
AV: Porque o encontrei na garagem e separei-o para o dar à pessoa certa. Vou-te levar.
AA: Sério?? Mas não queres mesmo ficar com ele?"

E lá veio de Vila Real o secador Kalorik, marca Belga que deverá ter produzido este modelo 545 lá pelos anos 70.

Adorei o secador mal o vi, embora a AV tivesse dito que achava ser cor-de-laranja e afinal é castanho e branco :)

SHARE:

12/03/2015

Caça aos tesouros em Budapeste

Sempre que viajo e tenho algum tempo, não perco a oportunidade de procurar a feira ou mercado de velharias local (flea market). Em todas as grandes cidades acontece, nem que seja um só dia por semana e Budapeste não é excepção. Nos flea markets é possível encontrar um pouco de tudo, coisas verdadeiramente surpreendentes, muitas vezes até pequenos tesouros!

O maior flea market de Budapeste, aliás um dos maiores da Europa Central, é o Ecseri Piac. Situa-se a uns 15 km do centro da cidade e acontece todos os dias, sendo o melhor dia o sábado. Achei especial piada ao Ecseri por se encontrarem ainda muitos vestígios da ocupação soviética e nazi na Hungria.

SHARE:

06/03/2015

Companhia Colonial de Navegação

Adoro malas antigas. De cartão, de couro, mais toscas, mais luxuosas, enfim, gosto da estética e da história que carregam.
Comprei esta mala de cartão por uma pechincha na feira da ladra. Estava, sem dúvida, a precisar de arranjo e limpeza. Mas o que não se faz quando se frequenta o Artlier?




SHARE:

22/02/2015

Cómoda à minha espera

Há já uns meses que precisava de trocar de cómoda, mas não me apetecia a fast solution Ikea e, por outro lado, ainda não tinha visto nenhuma que chamasse por mim.
Um dia saio de casa e a uns metros dou de caras com esta cómoda a aguardar recolha do lixo. Esta gritou por mim :). Depois de ter ficado à mercê das intempéries consegui finalmente recolhê-la e deitar mãos à obra.

SHARE:

08/02/2015

Mesinha desencontrada

Gostei desta mesinha mal a vi. A gaveta desencontrada encantou-me e tive mesmo de a trazer para casa.

SHARE:

25/01/2015

Cadeira roubada ao lixo

Há alguns meses atrás, vinha eu a chegar a casa, quando reparo nesta cadeira abandonada no lixo. Chamou-me a atenção porque há já algum tempo procurava uma cadeira destas, estilo Arte Nova.
Estava realmente em mau estado mas, mal eu imaginava o trabalho que me iria dar recuperá-la! 

SHARE:

19/01/2015

Rodas!

Haja criatividade. E quase tudo se pode recriar, reutilizar, reciclar. 
As rodas de bicicleta, depois de sol e chuva, asfalto, terra, montes e vales podem voltar a ter vida como suporte de mesa, candeeiro, porta-fotos. Onde a imaginação e o engenho nos levar.


SHARE:

04/01/2015

Que foi feito do toucador dos avós?

Para primeiro post do ano, uma peça muito querida: pertenceu à primeira mobília de quarto dos meus avós.
SHARE:
© Anantique. All rights reserved.